COMIDAS GIGANTES DO SÃO JOÃO DE CARUARU – COLUNA FRONTSTAGE

Pocket

Fala Galerinha hoje irei falar para vocês um pouco mais das nossas festas Juninas e de algumas tradições que nos rodeiam neste período, hoje em especial irei falar das comidas gigantes do São João de Caruaru aqui no meu Pernambuco vamos conferir ?

Bem pessoal como muitos de vocês já sabem Caruaru é a cidade pernambucana conhecida pelo seu São João, E tem um costume junino que alia culinária à sua fama de “maior São João do mundo”. São as comidas juninas gigantes, preparadas em dias específicos e com acompanhamento de bandas de forró e trios elétricos, o que geralmente atrai uma multidão. Assim, são preparados a maior pamonha do mundo, com 300 kg, o maior chocolate quente, a maior pipoca, o maior pé-de-moleque, o maior arroz-doce, a maior canjica, o maior quentão, o maior xerém, o maior bolo de macaxeira e o maior cuscuz do mundo, com 600 kg, e cuja cuscuzeira (panela especial para preparar o cuscuz) tem quatro metros de altura, exigindo uma escada para chegar ao topo.

PÉ DE MOLEQUE
pe-de-moleque-gigante

Em sua 16ª edição, a iguaria    mede 15 metros e pesa cerca de duas toneladas. Para preparar o bolo gigante são necessários os seguintes ingredientes: 800 kg de mandioca; 300 kg de açúcar; 250 kg de margarina; 15kg de cravo; 15 kg de canela; 15 kg de erva-doce; 3 mil ovos; 40kg doce de goiabada; 80 kg de castanha e 60 kg de coco ralado. A massa é separada em 60 formas que, juntas, formam o pé-de-moleque gigante.

 

CUSCUZ GIGANTE
cuscuz-gigante

 

Para fazer a iguaria junina são 600kg de flocos de milho, além de 400kg de salsicha que acompanha o prato.

 

 

 

 

PAMONHA GIGANTE

pamonha-gigantes

 

 

Maior pamonha do mundo: consumo de 2 mil espigas de milho. São 300kg de muita tentação.

 

 

 

Saiba mais sobre o São João de Caruaru, programação completa!

Bem pessoal por hoje é só isso na próxima estarei trazendo mais tradições do nosso São João !

Comentários do Facebook

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *