População de Escada se une contra violência

Pocket

Comissão popular decide viajar ao Recife, na tentativa de conseguir uma audiência com o secretário de Defesa Social para discutir problema

Por Gabriela López / Jornal do Commércio

Apontando indiferença da prefeitura e do governo de Pernambuco, moradores de Escada, município da Zona da Mata Sul, decidiram se mobilizar sozinhos na tentativa de resolver a violência na cidade, que, segundo eles, aumentou nos últimos meses.

Uma comissão formada por cerca de dez pessoas, entre comerciantes e servidores públicos, viajarão 59 quilômetros até o Recife, nesta segunda-feira (15), na tentativa de conseguir uma audiência com representantes da Polícia Militar (PM) e com o secretário de Defesa Social, Wilson Damázio, para tratar do assunto.

Um dos integrantes da comissão, o professor Luís Carlos Lins diz que o clima é de medo na cidade. “Na sexta (12), foi sepultado um jovem, ex-aluno meu, assassinado às 5h na parada de ônibus, enquanto esperava para ir trabalhar”, lamenta o docente, acrescentando que houve pelo menos três tentativas de homicídios na semana passada.
“Somos tratados com indiferença pelo governo do Estado. Além disso, a iniciativa de resolver o problema da violência devia partir do prefeito, mas nada é feito”, critica Luís Carlos Lins.

Os moradores também articularam com a Câmara de Vereadores uma audiência pública para tratar da violência, realizada no mês passado e contou com integrantes da PM, do Poder Executivo, da igreja e da Justiça. Ficaram acertadas ações como melhorias na iluminação, implantação de um sistema de câmeras de segurança e instalação de um Batalhão Independente da Polícia Militar para aumentar o número de policiais e viaturas no município – hoje, a cidade é atendida pelo efetivo de Vitória de Santo Antão, cidade vizinha –, mas não houve mudanças, segundo a população.

O empresário Carlos Sousa, que possui casa funerárias e um cemitério no município, também integra a comissão e relata que nunca viu tantas mortes nos 30 anos em que atua no ramo. “Vereadores procuraram o secretário de Defesa Social há três meses e ele se comprometeu a nos ajudar. Estamos esperando ainda”, lembra.

Wilson Damázio, disse, por meio de nota, estar preocupado com a violência em Escada e recomendou aos Diretores Integrados do Interior I, o tenente-coronel Valme Zeferino e ao delegado Salustiano Albuquerque – responsáveis pelo policiamento na Zona da Mata e Agreste pernambucano –, que fizessem “um minucioso diagnóstico a respeito da criminalidade no município visando a elaboração de um plano operacional específico para o combate à violência”.

O secretário também afirmou que “tem o maior prazer” de receber os moradores da cidade, embora não tenha confirmado o encontro desta segunda. Procurado, o prefeito Lucrécio Gomes (PSB) não atendeu às ligações da reportagem.

 

Comentários do Facebook

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *